Redes sociais: oportunidade para empresas de serviços B2B

Redes sociais: oportunidade para empresas de serviços B2B

Por Priscila Soares Falchi

Houve um tempo em que as redes sociais eram vistas pelas empresas B2B como algo sem importância ou aderência ao seu perfil corporativo. Empresários veteranos do setor de business to business, especialmente de serviços, não acreditavam que esta forma de comunicação pudesse ter qualquer sinergia com o seu target e ramo de atividade.

Nos dias de hoje, felizmente, notamos que essa realidade está mudando rapidamente. A exemplo das companhias B2C, que sempre utilizaram com sucesso as redes sociais como meio de comunicação e divulgação de produtos, diversas empresas de serviços corporativos também passaram a introduzir ações em redes sociais às suas estratégias de marketing.

Prova disso são as redes sociais segmentadas mantidas por consultorias de Gestão Contábil e Fiscal criadas especialmente para atender aos interesses de contabilistas e profissionais das áreas fiscais e tributárias. Essas redes surgiram por volta de 2008 impulsionadas pela grande necessidade do mercado em se adequar às novas normas e exigências determinadas pela Receita Federal a partir daquele ano.

Normas como o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), a adequação ao IFRS (International Financial Reporting Standards) e a Lei das S/As (11.638/07), fizeram com que milhares de empresas de diversos segmentos, a partir daí, iniciassem um processo de mudança na forma de apresentação das suas escriturações contábeis, escriturações fiscais e nos seus balanços. Com isso, as suas rotinas de trabalho também precisaram mudar e os seus profissionais se viram obrigados a assimilar rapidamente novos conhecimentos para que pudessem atender corretamente à legislação.

Desde então, as redes sociais do segmento contábil e fiscal tornaram-se referências no esclarecimento de dúvidas, funcionando como fonte de informações, troca de idéias e meio de relacionamento.

Outro bom exemplo da utilização de redes sociais por empresas de serviços B2B sãs as software houses de gestão empresarial. Vemos desde as pequenas até multinacionais atuando fortemente no Facebook e Linkedin, sendo que este funciona como canal de networking e geração de parcerias para complementação das suas ofertas de soluções.

Os microblogs também são muito utilizados por empresas do setor de serviços empresariais. Por exemplo, as de menor porte que não possuem mailing list qualificados utilizam o Twitter para enviar mensagens, ao invés de e-mail marketing, a pretexto se ser um canal de comunicação dirigido somente para o público que autoriza o recebimento, no caso, quem segue os seus perfis, evitando a disseminação de SPAM. Mas calma aí, abro um parêntese para dizer que isso é apenas uma situação específica para os que não têm uma lista segmentada de contatos para envio. Não é uma tendência de mercado. O e-mail marketing ainda é utilizado com sucesso.

Em resumo, para o setor de serviços corporativos, as redes sociais têm basicamente o propósito de gerar um alto nível de proximidade com o seu público-alvo, viabilizando o entendimento de problemas e necessidades comuns dos seus clientes potenciais e, principalmente, ajudando a mostrarem expertise sobre o seu negócio de atuação, fator diferencial e essencial nesse ramo de atividade.

Enfim, alguns setores relacionados aos serviços B2B já encontraram um caminho para incorporar com sucesso as redes sociais às suas estratégias de marketing, contrariando o conceito mítico vindo do passado de que não atenderiam ao perfil rígido e impessoal estabelecido entre as relações empresariais.

Escrito por Priscila Falchi – Publicado originalmente no Blog Implantando Marketing

Sobre o Autor

marketing administrator

Deixe uma resposta